29 de agosto de 2016

CONHEÇA A CONDIÇÃO PARA TAARABT SAIR DA LUZ

A três dias do fecho de mercado a situação de Taarabt permanece complicada.
Segundo foi possível apurar, o Benfica não tem qualquer proposta para a compra do passe do jogador e, mesmo o empréstimo, afigura-se muito complicado.

A SAD encarnada, como é natural, não quer ter qualquer encargo no vencimento do jogador que ultrapassa os 190 mil euros mensais, mas os clubes que têm perguntado pelo jogador, de 27 anos, também não se mostram dispostos a assumir essa responsabilidade.
Segundo foi possível apurar, caso o Benfica aceite pagar uma parte do vencimento do marroquino, não será impossível encontrar uma solução.

A rescisão, nesta fase, ainda não é um cenário equacionado pelo médio-ofensivo.

SUPERTAÇA: ABC-BENFICA, 24-25

O Benfica conquistou este domingo a Supertaça de andebol, ao derrotar o ABC, em Setúbal, por 25-24, num encontro emocionante e que foi resolvido apenas nos minutos finais.
Os bracarenses, que lideraram durante quase todo o encontro, venciam por 24-20 aos 52 minutos, altura em que Carlos Resende pediu um time-out, mas não mais voltaram a marcar e viram as águias faturar por cinco vezes, dando por completo a volta ao marcador.

60' - ACABOU.
O Benfica conquista a Supertaça!

59'40 - Time out

59'16 - Belone concluir a reviravolta e coloca as águias na frente! (24-25)

58' - Está empatado.
Ales empata a partida pela primeira vez na segunda parte.
Recuperação sensacional das águias (24-24)

56' - Remate brutal de Cavalcanti e o Benfica coloca-se a apenas um golo de desvantagem pela primeira vez em mais de 20 minutos! (24-23)

56' - Excelente golo de Davide Carvalho na direita e as águias ainda acreditam! (24-22)

55' - Fábio Vidrago, melhor marcador do Benfica, volta a reduzir (24-21)

53' - Time out para o ABC

52' - Hugo Rocha volta a colocar o ABC a quatro golos (24-20)

51' - Vidrago volta a marca e as águias reduzem (23-20)

50' - O ABC marca dois golos em 30 segundos e tem agora vantagem máxima na partida... (23-19)

48' - Reduz Fábio Vidrago e o Benfica volta à luta (21-19)

43' - Benfica continua com pouco acerto ofensivo, mas Hugo Figueira vai mantendo as águias 'vivas'.

42' - Time out para o Benfica

41' - As águias voltam a reduzir, mas o ABC responde e aumenta a vantagem (21-18)

40' - Carlos Martins volta a colocar o ABC na vantagem máxima (20-17)

39' - Pedro Seabra aumenta ainda mais a vantagem, mas Moreno reduz (19-17)

37' - Hugo Rocha marca de sete metros (18-16)

36' - Marca o ABC, mas o Benfica responde logo de seguida.
Jogo ao rubro (17-16)

35' - Mais um golo de Belone, reduz ainda mais para as águias (16-15)

33' - Reduz o Benfica, por intermédio de Belone. (16-14)

31' - Dario Andrade faz o primeiro golo da segunda parte e dá vantagem máxima ao ABC (16-13)

19H03: Arranca a segunda parte.

18H52: Intervalo em Setúbal, com o ABC a ir para o descanso a vencer por 15-13.

30' - Pedro Seabra volta a marcar para o ABC, que chega ao 15.º golo. (15-13)

29' - Branquinho aumenta a vantagem bracarense, mas Moreno reduz logo de seguida (14-13)

28' - Uelington reduz para o Benfica através de um livre de sete metros (13-12)

27' - Elledy Semedo sofre uma entrada dura de Nuno Grilo, que é expulso.

26' - Time out para o ABC.

25' - Nuno Grilo responde com mais um golo (13-11)

24' - Terzic  reduz para o Benfica (12-11)

22' - Tomás Albuquerque aumenta a vantagem minhota e Mariano Ortega pede time-out (12-10)

20' - Hugo Rocha marca novamente para dar vantagem aos minhotos (11-10)

18' - Hugo Rocha empata de livre de sete  metros (10-10)

18' - João Pais recoloca as águias na frente (9-10)

16' - Spínola marca para o ABC, Terzic responde para o Benfica (9-9)

15' - Na garra, Tiago Pereira volta a empatar (8-8)

14' - Diogo Branquinho recoloca os minhotos na frente (8-7)

13' - Empata o Benfica com um grande golo de Alexandre Cavalcanti (7-7)

12' - Fábio Vidrago reduz com o 6.º golo das águias (7-6)

11' - Diogo Branquinho dá ao ABC a sua vantagem máxima no jogo (7-5)

9' - Nuno Grilo faz novo golo e o ABC comanda pela primeira vez (6-5)

7' - Hugo Rocha volta a empatar para o ABC com um excelente movimento (5-5)

6' - Pedro Seabra empata para a formação de Braga, mas na resposta Ales marca o quinto golo das águias. (4-5)

5' - Volta a reduzir Nuno Grilo e Benfica não consegue responder, com Belone a falhar um livre de sete metros (3-4)

4' - Ales volta a marcar em ataque rápido, mas o Benfica tem a sua primeira contrariedade, com a exclusão de Cavalcanti (2-4)

3' - Nuno Grilo volta a reduzir para os minhotos (2-3)

2' - Belone aumenta para as águias (1-3)

1' - Ales Silva faz o primeiro golo da partida para o Benfica, Fábio Vidago aumenta a vantagem antes dos bracarenses conseguirem reduzir.
Tudo isto em 20 segundos.
Início alucinante (1-2).

18H04: As duas equipas já estão em quadra e a partida vai arrancar em Setúbal!

17H53: As equipas aquecem nesta altura no pavilhão setubalense.

- ABC, campeão nacional, e Benfica, vencedor da Taça de Portugal, defrontam-se este domingo no Pavilhão Antoine Velge, em Setúbal, na luta pelo primeiro troféu oficial da modalidade em 2016/2017.

- Esta é mais uma 'final' entre as duas equipas no espaço de poucos meses, depois de estar duas formações terem discutido os títulos da Taça Challenge e do campeonato, sempre com triunfo para os minhotos.

- O encontro arranca às 18 horas.

Carrillo entrou e resolveu para o Benfica

Resumo
Depois de ter ficado ausente do jogos do Benfica devido a lesão, Jonas entrou na equipa titular para o lugar de Cervi, com Salvio e Pizzi nos corredores.
Mitroglou ficou no banco de suplentes.
Ali Ghazal marcou na própria baliza na primeira parte, colocando o Benfica em vantagem ao intervalo.
No segundo tempo, Tobias Figueiredo empatou (64’), mas os golos de Carrillo (70’) e Raúl Jiménez (92’) deram o triunfo ao Benfica.

Momento-chave
O golo de Carrillo: Aos 67 minutos, Carrillo entrou para o lugar de Pizzi e o ex-jogador do Sporting precisou apenas de três minutos para brilhar na partida.
Após boa jogada dos encarnados, com Jiménez a lançar Salvio na área e o argentino, por sua vez, serviu o peruano que rematou com "raiva" para o fundo das redes.
O golo do peruano desbloqueou o jogo e deu ânimo ao Benfica (e desconcentrou o Nacional) para marcar o terceiro.

Jogador em destaque
Poderia ser Carrillo, mas o título vai mesmo para Raúl Jiménez.
O mexicano demonstrou que tem garra e que procura insistentemente o golo.
Mais, tem-se mostrado sempre disponível para ligar o meio campo e o ataque encarnado, fazendo-o com distinção.
Por se saber movimentar muito bem, cria grandes problemas (e tonturas) nos jogadores adversários. No final de tudo, ainda marcou o golo que sossegou os corações encarnados.

As vozes dos protagonistas
Rui Vitória:Sabemos que o Nacional tem uma belíssima equipa e está cada vez mais forte. 
Nós entrámos em campo a querer mandar no jogo. 
Enquanto não fizemos o segundo golo o adversário acreditou, mas a equipa estava convicta e marcou. 
Palavra de apreço aos meus jogadores pela disponibilidade nesta deslocação difícil”.

Manuel Machado:O Benfica é uma equipa de um nível diferenciado. 
Nós fizemos um excelente jogo apesar dos erros. 
Cozinhámos os golos para o Benfica
No terceiro já estávamos diminuídos. 
Tive um ponta-de-lança a jogar a trinco e um extremo a defesa-central e ficámos ainda em inferioridade numérica. 
Depois surgiu o terceiro golo. 
Em termos de jogo jogado foi muito igual e agradeço aos meus jogadores pela organização, espírito combativo e pela estratégia”.

Curiosidade
Rui Vitória somou a 13.ª terceira vitória consecutiva fora de casa, diante o Nacional (1x3).

Benfica B vence no terreno do Aves

O marcador foi inaugurado por Heriberto Tavares aos 25 minutos.
Na segunda parte, a equipa orientada por Ivo Vieira ainda igualou, aos 60 minutos, por Barry Luís, mas, logo três minutos depois, Diogo Gonçalves, após cruzamento de Dálcio Gomes, colocou de novo o Benfica na frente.

"Foi talvez o melhor adversário que defrontámos até agora. 
Mas este Benfica gere muito bem os momentos de jogo, está a começar a ter inteligência tática. 
Houve uma resposta fantástica dos meus jogadores", afirmou Hélder Cristóvão ao flashinterview da Sport TV.

O Benfica somou a sua segunda vitória consecutiva, depois de na quarta-feira passada ter vencido em casa do Vizela também por 2-1.
Já o Aves sofreu a sua primeira derrota da época.

Este domingo à tarde, disputam-se os restantes jogos da 5ª jornada da II Liga, com exceção do Sporting B - Vizela que só se disputa na segunda-feira.

Rafa ficou em Lisboa... e à espera do Benfica

Rafa não foi utilizado por José Peseiro na partida do Braga no reduto do Estoril e relegou o jogador para a bancada, justificando a ausência - a segunda consecutiva - com a perspetiva da transferência para o Benfica.

Aliás, o internacional português ficou mesmo em Lisboa e já não seguiu viagem com os colegas para Braga, depois do triunfo por 3-1 sobre os canarinhos.
Rafa tem a esperança de que o impasse no negócio seja finalmente ultrapassado para poder assinar pelos tricampeões nacionais.

A permanência na capital também se justifica com a apresentação nos trabalhos da Seleção, que deverá ocorrer esta segunda-feira, às 17h00, na Cidade do Futebol, com vista à preparação dos jogos com Gibraltar e Suíça.

Recorde-se que o mercado de transferências encerra em Portugal na próxima quarta-feira, sendo esse o dia limite para o acerto da transferência de Rafa.

Nacional-Benfica, 1-3 (crónica)

Vitória importante dos tricampeões na sempre difícil deslocação à Choupana (1-3), casa do Nacional que assim fez com que os encarnados regressassem as vitórias após o empate alcançado em casa contra o Vitória de Setúbal, e logo em jornada de clássico entre os seus rivais Sporting e FC Porto.

A equipa de Rui Vitória acabou por não entrar bem na partida dando a iniciativa ao Nacional que teve alguma superioridade nos primeiros quinze minutos.
A partir daí, o Benfica controlou sempre o jogo muito por culpa da ação feita no meio campo e quando as coisas pareciam tremidas, Rui Vitória apostou no peruano Carrillo que acabou por ser decisivo na vitória dos encarnados.

Rui Vitória apresentou um onze com algumas alterações, desde logo a inclusão do avançado Jonas, que ainda não tinha jogado neste campeonato.
Também colocou Jimenez como avançado, à frente de Jonas, relegando Mitroglou para o banco de suplentes.
No meio campo, Vitória não mexeu, usando o “trinco” Fejsa, com André Horta ao lado.
Pizzi e Salvio jogavam nas alas.
A defesa foi a mesma do último jogo, ficando o Benfica com o seu habitual 4x4x2, que aumentava para um 4x3x3, sempre que existia uma transição ofensiva.

Já o Nacional, Manuel Machado mexeu, e muito, na sua estrutura habitual, dando a titularidade ao madeirense Jota, no meio campo, ao lado de Washington.
Não se poderá dizer que a aposta surtiu efeito.
No meio campo, reforçado com dois médios defensivos (Jota e Washington) Tiago Rodrigues aparecia como único médio com capacidade para fazer transições, o que era manifestamente muito pouco.
Na frente, três homens rápidos, mas que a defesa do Benfica foi anulando, não fosse este um dia mau para Witi, Salvador Agra e Ricardo Gomes.

Nos primeiros quarenta e cinco minutos, o Benfica saiu a vencer, muito por culpa de um lance infeliz entre Rui Silva e Aly Ghazal após livre cobrado por Pizzi com o guarda-redes a falhar interceção e o esférico a ressaltar no médio alvinegro que acabou por entrar no fundo da baliza do Nacional.
No entanto, começou melhor a partida o Nacional com Washington e Salvador Agra a importunar Júlio César, ambos com remates de longe que levaram muito perigo à baliza encarnada.
A partir daí o Benfica respondeu, primeiro por Jonas e após jogada com Lindelof e logo de seguida com remates de Fejsa, Raúl Jimenez e novamente de Jonas a criar perigo junto à baliza alvinegra.

Viveu-se uma grande intensidade dentro de campo no primeiro quarto de hora com ambas as equipas à procura do primeiro golo do encontro.
Mas acabou por ser os encarnados a inaugurarem o marcador aos 16 minutos por autogolo do já referido Aly Ghazal.

O ritmo de jogo quebrou após o golo do Benfica com a equipa da casa a acusar muito o golo sofrido. Até ao fim da primeira parte a equipa de Rui Vitória controlou com alguma facilidade o encontro, dispondo até várias oportunidades para alargar o marcador, primeiro por Salvio com um remate por cima da baliza de Rui Silva e também por Grimaldo, que rematou à boca da baliza às malhas laterais após grande jogada com Jonas e Pizzi.

Fejsa foi uma autêntica barreira a Tiago Rodrigues e seus pares, jogando o médio com os alas encarnados ao primeiro toque, o que baralhou algumas marcações defensivas, e também Jonas sempre à procura da bola fora da sua posição como tão bem ele sabe fazer.
Do lado alvinegro destaque para o médio Washington que se revelava como o elemento mais em foco com excelentes recuperações de bola e a ser o primeiro construtor do jogo ofensivo nacionalista.

A segunda parte com o Nacional à procura do prejuízo do resultado e foi logo Tiago Rodrigues a criar perigo junto da baliza encarnada através de um livre directo aos 50 minutos.
Como resposta, o Benfica podia ter ampliado a vantagem no marcador, primeiro com Salvio a rematar ao poste da baliza de Rui Silva e depois com Raúl e Jonas a falharem oportunidades claras de golo onde Rui Silva desta vez a se redimir do lance que deu origem ao primeiro golo do Benfica. Mas como se diz na gíria futebolística, quem não marca sofre e foi isso que aconteceu.
Aos 63 minutos, canto de Salvador Agra e Tobias Figueiredo, jovem central emprestado pelo Sporting, a cabecear para o fundo da baliza de Júlio César num excelente gesto técnico.

Rui Vitória preparava-se para fazer entrar o médio Celis e lançou igualmente Carrillo para o lugar de Pizzi.
Em boa hora o extremo peruano entrou na partida pois foi ele quem marcou o segundo do Benfica, 6 minutos depois do golo do empate de Tobias Figueiredo após jogada colectiva dos encarnados com Salvio a assistir o ex jogador do Sporting que assim se estreou a marcar com a camisola encarnada.

O Nacional voltou a sentir bastante o golo sofrido e Manuel Machado fez entrar os avançados Hamzaoui e Nélson Bonilla contudo as substituições não surtiram grande efeito e acabou por ser o Benfica a aproveitar o desequilíbrio do meio campo nacionalista que aos 90m,
Raul Jiménez após falha da defesa da equipa da casa aproveitou para se isolar e assim bater Rui Silva e meter um ponto final na partida.

26 de agosto de 2016

Jogadores do Besiktas festejaram ao saber que ficavam no grupo do Benfica

Os jogadores do Besiktas não esconderam a sua euforia ao saberem que iriam ficar no grupo B da Liga dos Campeões, juntamente com o Benfica.

Num vídeo publicado pelo jogador Omar Sismanoglou na sua conta pessoal no Instagram é possível ver o momento em que se conhece a sorte do clube turco na Champions, com Ricardo Quaresma e os colegas a festejarem o resultado do sorteio.

O Besiktas acabou por escapar a outros "tubarões" e apanhou assim o Benfica como adversário do pote 1, onde estavam os campeões nacionais dos países com o melhor ranking.

Liga dos Campeões: o grupo do Benfica

O Benfica ficou no grupo B da fase de grupos da Liga dos Campeões e vai medir forças com o Nápoles, Dínamo Kiev e Besiktas.

Os encarnados - cabeças de série - têm por isso, desde já, marcado um encontro com Talisca, que foi emprestado neste defeso ao clube turco, e ainda com o português Antunes que joga no Dínamo Kiev.

Benfica: Nelson Oliveira em Norwich para finalizar transferência

Nelson Oliveira está muito perto de se tornar reforço do Norwich.

O avançado de 25 anos já viajou para a cidade do leste de Inglaterra, onde se encontra a cumprir todas as formalidades para assinar contrato.
O jogador já realizou inclusivamente os exames médicos, pelo que deve estar para breve a oficialização da transferência.

Nelson Oliveira sai em definitivo para o Norwich, rescindindo com o Benfica.

O internacional português coloca assim um ponto final numa ligação de dez anos ao Benfica, embora com vários empréstimos pelo meio.
Na qualidade de cedido jogou no Rio Ave, no Paços Ferreira, no Corunha, no Rennes, no Swansea e no Nottingham Forest.

Na última temporada, no Nottingham, apontou nove golos em 29 jogos, relativos apenas a meia época, pelo que se tornou um jogador cobiçado no futebol inglês.
Nesse sentido regressa ao Championship, agora para representar o Norwich City.

Choupana perto de esgotar para receber o Benfica

O Nacional informou esta quinta-feira que restam apenas 500 bilhetes para a receção ao Benfica do próximo sábado, integrada na terceira jornada da Liga NOS.

O Estádio da Madeira, na Choupana, tem lotação para aproximadamente 5.500 espectadores e deverá registar casa cheia.
Os últimos ingressos destinam-se à bancada poente e têm o preço único de 20 euros.

O Nacional-Benfica está agendado para sábado, às 20H30.